Mesmo sob forte chuva, estudantes da Universidade Federal de Viçosa (UFV), professores, servidores públicos e membros de diversos sindicatos estudantis e políticos foram às ruas contra o corte de verbas na educação pública e a Reforma da Previdencia, propostos pelo atual governo.

Não se sabe ao certo o número total de manifestantes na manhã desta quarta-feira, mas estima-se que entre 3 e 5 mil pessoas estavam presentes no ato grevista, que teve início nas 4 Pilastras da UFV e tomou as ruas da cidade em direção a Câmara Municipal e a Prefeitura da cidade.

Foto: Artur Viana

A manifestação contou com gritos de resistência e repúdio aos atos do atual governo de Jair Bolsonaro, e por onde passava, ganhava apoio de motoristas, moradores e trabalhadores.

Cânticos como “Que contradição, tem dinheiro pra milícia, mas não tem pra educação” e “E a balbúrdia que ele diz, tá sustentando as pesquisas do país” foram fortemente entoados e repetidos pelos grevistas.
O ato chegou ao fim por volta das 12h com o convite para no próximo dia 14 de junho, outra mobilização em favor da Greve Geral contra a reforma da previdência que pretende parar o país. As centrais sindicais e movimentos de Viçosa se reunirão para definir a programação da greve.

Por: Guilherme de Carvalho Alves